Porto é mais um grande da Europa a demitir o técnico

Por Luís Curro

Futebol é resultado.

Essa máxima se fez presente mais uma vez nesta sexta (8), desta vez em Portugal.

O Porto, um dos três grandes do país, demitiu o treinador espanhol Julen Lopetegui, que estava no cargo desde maio de 2014.

E resultado significa não apenas obter um bom desempenho geral, já que com Lopetegui o Porto acumulou, em 90 partidas, 59 triunfos, 21 empates e apenas 10 derrotas – aproveitamentos ótimos de 66% de vitórias e de 73% de pontos.

É preciso ganhar títulos. No caso do Porto, um ano e meio sem faturar um é uma eternidade.

Desde o português António Teixeira, que comandou a equipe em duas temporadas (1970-1971 e 1971-1972), Lopetegui é o treinador que mais permaneceu no clube sem conquistar uma taça. Todos os outros saíram em menos tempo.

Lopetegui em um de seus últimos treinos no CT do Porto, em Olival (Reprodução - 31.dez.2015/Site do FC Porto)
Lopetegui em um de seus últimos treinos no CT do Porto, em Olival (Reprodução – 31.dez.2015/Site do Porto)

Uma série de três jogos sem vencer foi a gota d’água para a direção do Porto dar o bilhete azul ao ex-goleiro Lopetegui, de 49 anos, que antes de assumir o time treinou por quase cinco anos seleções de base da Espanha (sub-19, sub-20 e sub-21).

O Porto estreou com derrota na Copa da Liga de Portugal (3 a 1 para o Marítimo), em 29 de dezembro, e neste mês, pelo Português, perdeu do Sporting por 2 a 0, no dia 2, e empatou por 1 a 1 com o Rio Ave, nesta quarta (6).

Os tropeços contra Marítimo e Rio Ave ocorreram no estádio do Dragão, o campo do Porto.

Eliminado na fase de grupos da Champions League, o Porto está em terceiro lugar no Português, quatro pontos atrás do Sporting (41 a 37). A derrota para o Sporting foi a primeira do Porto na competição nesta temporada – tem 11 vitórias e 4 empates.

Assim, em um intervalo de três semanas, a guilhotina cortou a cabeça de três técnicos em relevantes clubes da Europa.

Lopetegui engorda a lista que tem José Mourinho, substituído no Chelsea pelo holandês Guus Hiddink, e o espanhol Rafa Benítez, trocado no Real Madrid pelo francês Zinédine Zidane.

Em tempo: Espécie de Milton Cruz (São Paulo) no Porto, o ex-jogador Rui Barros será o treinador interino do time. Há chance de Mourinho, bem-sucedido do clube de 2001 a 2004 (ganhou dois campeonatos nacionais e uma Liga dos Campeões da Europa, entre outros títulos), retornar? Improvável, já que o português pretende continuar na Inglaterra e flerta com o Manchester United.