Os caras de Dunga – Um meio-campo desprestigiado

Por Luís Curro

Os meio-campistas que têm sido convocados por Dunga para a seleção não possuem nível para figurar no time ideal da Fifa. Estão desprestigiados.

Faz alguns dias, a entidade, em parceria com a FIFPro (o sindicato mundial dos jogadores de futebol), divulgou 55 nomes, sendo que 11 serão escolhidos pelo voto de seus colegas de profissão para formar uma “equipe dos sonhos”.

A de 2014 foi a seguinte, com dois zagueiros brasileiros: Neuer; Sergio Ramos, Thiago Silva, David Luiz e Lahm; Kroos, Iniesta e Di María; Robben, Messi e Cristiano Ronaldo. No time reserva, mais três brasucas: os laterais Daniel Alves e Marcelo e o atacante Neymar.

Nenhum meio-campista do Brasil.

Na lista dos concorrentes de 2015 há seis brasileiros: Daniel Alves, Thiago Silva, David Luiz, Marcelo, Neymar e Douglas Costa.

De novo, nenhum meio-campista do Brasil.

Douglas Costa, na minha avaliação (e também na de Fifa/FIFPro), é atacante. Pode até fazer as vezes de um meia ofensivo, mas na maioria das partidas pelo Bayern de Munique ele tem atuado pelas pontas, mais pela esquerda do que pela direita – e é mesmo pela laterais do campo, com dribles e cruzamentos, onde ele rende mais, não no meio.

Desse modo, Luiz Gustavo, Fernandinho, Elias, Willian, Renato Augusto, Kaká, Lucas Lima e Oscar, conforme a visão de futebolistas (opinaram 25 mil, de 70 países), não merecem um lugar no “time dos sonhos” deste ano.

Preocupante? Eu diria que sim. Entre os 15 meio-campistas listados por Fifa e FIFPro, há nomes de peso como Iniesta, James Rodríguez, Kroos e Vidal, porém também aparecem Verratti, italiano do PSG, e o veterano espanhol Xabi Alonso (34 anos), do Bayern de Munique.

Elias e Renato Augusto, do campeão brasileiro Corinthians, e Lucas Lima, do finalista da Copa do Brasil Santos, têm a “desvantagem” de atuar no Brasil, uma vitrine bem menos exposta, ou até nada exposta.

Aliás, vitrine boa mesmo é a Europa. Na lista de 55 nomes só há dois atletas que não jogam por lá: o veteraníssimo Pirlo (36 anos), do New Yok City (EUA), e Tevez, do Boca Juniors (Argentina). Porém ambos, até a metade deste ano, defendiam a italiana Juventus.

Contudo, não basta só jogar no velho continente, é preciso estar em um grande clube europeu. Há na relação jogadores de apenas 12 equipes: Real Madrid (12), Bayern de Munique (11), Barcelona (10), Manchester City (4), PSG (4), Chelsea (3), Juventus (3), Manchester United (2), Arsenal (1), Atlético de Madri (1), Borussia Dortmund (1) e Porto (1).

Pois bem. Fernandinho, Oscar e Willian estão em grandes clubes, o primeiro no Mancheter City, o segundo e o terceiro no Chelsea. E nada de figurar na lista dos 55. Do City, o volante que concorre é o marfinense Yaya Touré; do Chelsea, o meia na disputa é o belga Hazard.

Fernandinho em disputa de bola com Chiellini em Juventus 1 x 0 Manchester City (Massimo Pinca - 25.nov.2015/Associated Press)
Fernandinho em disputa de bola com Chiellini em Juventus 1 x 0 Manchester City (Massimo Pinca – 25.nov.2015/Associated Press)

Fernandinho tem a cada dia se notabilizado mais por ser “somente” bom. Bom marcador e bom passador. Funciona para o time, mas não reluz. É difícil ter desempenhos daqueles de encher os olhos – tanto que na seleção é reserva de Elias.

Willian atravessa boa fase no decepcionante Chelsea, e seus seis gols pelo clube, com um terço da temporada 2015/2016 disputado, superam os quatro que marcou em 2013/2014 e também em 2014/2015. Só que a artilharia foi construída primordialmente com as bolas paradas, gols de falta. É pouco.

Oscar vive seu pior momento com os Blues. Na Premier League 2013/2014, fez 8 gols e deu 2 assistências em 33 jogos; na Premier League 2014/2015, fez 6 gols e deu 8 assistências em 28 jogos, na campanha do título. Na atual Premier League, marcou um único gol e não deu uma mísera assistência em 8 jogos. Não é mais titular sempre na equipe treinada por José Mourinho e, fazendo uma projeção, se continuar nesse ritmo terminará o campeonato com 3 gols e zero assistência em 23 partidas. Seria a pior marca desde 2012/2013, sua primeira temporada no Chelsea, quando registrou na Premier League 4 gols e 5 assistências em 34 jogos.

Luiz Gustavo e Kaká não merecem mesmo ser indicados para o grupo dos 55.

O primeiro, que defende o alemão Wolfsburg, é um cão de guarda, um jogador esforçado quando quer ser, de técnica razoável e mobilidade limitada. Tem a plena confiança de Dunga, já que, com suas características, só ele tem sido convocado. Não há um reserva com suas funções, seria necessário improvisar.

O segundo, eleito o melhor futebolista do mundo em 2007, atuou neste ano na Major League Soccer (o principal campeonato dos EUA) e está na seleção, claramente, pela experiência, pois quase não joga. Nos quatro confrontos do Brasil pelas eliminatórias, atuou somente 15 minutos, diante da Venezuela.

É ruim o cenário de ausência de brasileiros em uma disputa por um lugar entre os melhores do meio-campo em um “time dos sonhos”.

Pois o meio-campo é uma mistura de cérebro (criação de jogadas) e pulmão (luta pela bola) do time. Sem esses dois órgãos vitais funcionando bem, até onde o Brasil pode chegar?

A seguir, o desempenho de cada jogador da última lista de Dunga (9 dos 23 atuam no Brasil) nos últimos sete dias:

Goleiros

Alisson (Internacional) – Fluminense 1 x 1 Internacional (Brasileiro). Suspenso, não jogou. Sem avaliação

Cássio (Corinthians) – Sport 2 x 0 Corinthians (Brasileiro). Gripado, não jogou. Sem avaliação

Jefferson (Botafogo) – Botafogo 0 x 0 América-MG (Brasileiro – Série B). Poupado, não jogou. Sem avaliação

Defesa

Daniel Alves (Barcelona-ESP) – Barcelona 6 x 1 Roma (Champions League). O lateral parece aos poucos reencontrar o seu bom futebol. Apoiou o ataque com qualidade, inclusive dando o passe para o primeiro gol, de Suárez, e não cometeu erros na defesa. Recebeu um cartão amarelo. Barcelona 4 x 0 Real Sociedad (Espanhol). Sem ter a quem marcar, avançou o quanto quis, e com competência. Foram duas assistências, para os dois gols iniciais do Barça – o primeiro de Neymar, o segundo de Suárez. Com o jogo praticamente ganho (3 a 0), deu lugar a Adriano aos 17 minutos do 2º tempo. Ótimo

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Napoli 2 x 1 Inter (Italiano). Saiu derrotado da disputa com Higuaín. No segundo gol do argentino, que também fez o primeiro, o zagueiro perdeu na corrida para o atacante, que também levou vantagem em outros lances. O Napoli ultrapassou a Inter e lidera a Série A. Ruim

Miranda não evita chute de Higuaín: gol do Napoli (Carlo Hermann - 30.nov.2015/AFP)
Miranda não evita chute de Higuaín: gol do Napoli (Carlo Hermann – 30.nov.2015/AFP)

David Luiz (PSG-FRA) – Malmö 0 x 5 PSG (Champions League). Suspenso, não jogou. PSG 4 x 1 Troyes (Francês). De volta ao time, quase não teve trabalho contra o ataque do lanterna do campeonato. Bom

Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP) – Atlético 2 x 0 Galatasaray (Champions League). Foi a terceira partida seguida em que o lateral joga e o Atlético não leva gol – a defesa da equipe tem sido uma das melhores da Europa recentemente. No ataque, arriscou um chute a gol, defendido pelo goleiro Muslera. Atlético 1 x 0 Espanyol (Espanhol). Mais um jogo em que a defesa atleticana passou incólume. Filipe Luís integra a retaguarda mais sólida da liga, com só 6 gols sofridos em 13 jogos. Subiu ao ataque quando possível e conquistou dois escanteios. Bom

Danilo (Real Madrid-ESP) – Shakhtar Donetsk 3 x 4 Real Madrid (Champions League). Perdeu a posição para Carvajal e começou na reserva. Entrou aos 33 minutos do 1º tempo, substituindo o zagueiro Varane, que se lesionou. Atuou na lateral esquerda, que não é a sua posição de origem, pois Nacho, que atuava improvisado no setor, foi deslocado para a zaga – Marcelo, o lateral titular, não foi relacionado para o jogo. Danilo quebrou um galho – claramente não se sente à vontade ali. Eibar 0 x 2 Real Madrid (Espanhol). Novamente atuou improvisado na lateral esquerda (Marcelo continuou fora), e novamente se sentiu um peixe fora d’água – ao menos não comprometeu na marcação. Regular

Gabriel Paulista (Arsenal-ING) – Arsenal 3 x 0 Dinamo de Zagreb (Champions League). Ficou na reserva de Mertesacker e Koscielny. Norwich 1 x 1 Arsenal (Inglês). Substituiu, aos 11 minutos do 1º tempo, o contundido Koscielny. Falhou no gol do Norwich: perdeu no corpo a corpo, e caiu sentado, em disputa na grande área com Grabban, que empatou a partida. Ruim

Gil (Corinthians) – Sport 2 x 0 Corinthians (Brasileiro). O ataque do clube do Recife deitou e rolou para cima da defesa do campeão brasileiro. No primeiro gol, de Matheus Ferraz, todo o setor falhou ao errar na linha de impedimento. No segundo gol, de André, tanto Gil como Edu Dracena marcavam ninguém. Ruim

Douglas Santos (Atlético-MG) – Grêmio 2 x 1 Atlético-MG (Brasileiro). Sem culpa nos gols gremistas, teve atuação discreta. Regular

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – CSKA Moscou 0 x 2 Wolfsburg (Champions League). Contundido, não foi relacionado para o jogo na Rússia. Augsburg 0 x 0 Wolfsburg (Alemão). Ainda em recuperação, ficou fora da partida. Sem avaliação

Elias (Corinthians) – Sport 2 x 0 Corinthians (Brasileiro). Poupado, não foi relacionado para a partida. Sem avaliação

Fernandinho (Manchester City-ING) – Juventus 1 x 0 Manchester City (Champions League). Teve duas chances de marcar no começo do jogo e pecou na pontaria. Ao lado de Fernando na marcação, foi envolvido por Pogba na maior parte do tempo. Já com um cartão amarelo, deixou o jogo aos 15 minutos do 2º tempo – entrou Delph. Manchester City 3 x 1 Southampton (Inglês). Voltou a ser o volante moderno que costuma ser, dando combate com eficácia e apoiando o ataque, porém não brilhou. Regular

Oscar fez um gol contra o Maccabi em Tel Aviv (Jack Guez - 24.nov.2015/AFP)
Oscar fez um gol contra o Maccabi em Tel Aviv (Jack Guez – 24.nov.2015/AFP)GUEZ

Oscar (Chelsea-ING) – Maccabi Tel Aviv 0 x 4 Chelsea (Champions League). Titular depois de duas partidas começando no banco, aproveitou a oportunidade diante de um adversário fraco. Fez um gol, de cabeça, e deu uma assistência. Agradou ao treinador Mourinho, tanto que não foi substituído, algo que vinha sendo costumeiro. Tottenham 0 x 0 Chelsea (Inglês). Passou a bola no meio das pernas de um rival e finalizou na rede pelo lado de fora – seu único momento digno de citação em uma partida em que esteve sumido. Bom

Willian (Chelsea-ING) – Maccabi Tel Aviv 0 x 4 Chelsea (Champions League). Em cobrança de falta, fez seu quarto gol nesta Liga dos Campeões pelos Blues, o segundo do time na partida. Foi substituído aos 34 minutos do 2º tempo por Rémy. Tottenham 0 x o Chelsea (Inglês). Movimentou-se bastante, mas dessa vez não conseguiu criar chances de gol. Saiu aos 44 minutos do 2º tempo – entrou Kenedy. Bom

Lucas Lima (Santos) – Santos 1 x 0 Palmeiras (Copa do Brasil). No primeiro jogo da decisão da competição, o campo esburacado e, no 2º tempo, pesado da Vila Belmiro prejudicou o leve Lucas Lima, que, contudo, não deixou de se movimentar e criar jogadas. No final da partida, cavou a expulsão do lateral palmeirense Lucas. Vasco 1 x 0 Santos (Brasileiro). Poupado, não foi relacionado para a partida. Regular

Renato Augusto (Corinthians) – Sport 2 x 0 Corinthians (Brasileiro). Poupado, não foi relacionado para a partida. Sem avaliação

X

Kaká (Orlando City-EUA) – Seu time não se classificou para os playoffs da Major League Soccer. Sem avaliação

Ataque

Neymar (Barcelona-ESP) – Barcelona 6 x 1 Roma (Champions League). Movimentou-se muito bem durante todo o jogo, mas ficou devendo ao não fazer gol nem dar assistência. Ainda desperdiçou um pênalti batido à la Sócrates. Barcelona 4 x 0 Real Sociedad (Espanhol). O melhor em campo. Dois gols, um em cada tempo, um com cada pé, e uma assistência para Messi no final do jogo. Bom

Hulk (Zenit-RUS) – Zenit 2 x 0 Valencia (Champions League). Nos quatro primeiros jogos do Zenit nesta Liga dos Campeões, o atacante sempre fez gol e/ou deu assistência. Dessa vez, nem um nem outro. Arriscou dois chutes a gol, ambos para fora, e ficou impedido quatro vezes. Terek Groznyi 4 x 1 Zenit (Russo). Um jogo para ser esquecido pela equipe do brasileiro, que foi o melhor do time: fez o gol de honra e ainda exigiu duas defesas de Gorodov. Levou cartão amarelo após cometer uma falta. Bom

X

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Bayern 4 x 0 Olympiakos (Champions League). Logo aos 8 minutos, abriu o placar, com um chute forte de dentro da área, no canto. Deu outras duas finalizações, uma para fora, outra defendida pelo goleiro Roberto, antes de sair do jogo, para a entrada de Javi Martínez, aos 27 minutos do 2º tempo, com o time já vencendo por 4 a 0. Bayern 2 x 0 Hertha Berlin (Alemão). Lesionado, não foi relacionado para a partida. Bom

Ricardo Oliveira (Santos) – Santos 1 x 0 Palmeiras (Copa do Brasil). Sob muita chuva na Vila Belmiro, Ricardo Oliveira poderia ter feito um gol de pênalti no 1º tempo, sofrido por ele mesmo. Mas quem bateu foi Gabriel, que errou. Ainda perdeu um gol em chute da entrada da pequena área – Fernando Prass salvou. No 2º tempo, deu o passe para Gabriel se redimir e fazer o gol da vitória. Recebeu um cartão amarelo. Vasco 1 x 0 Santos (Brasileiro). Poupado, não foi relacionado para a partida. Regular