Assistências diferenciam Neymar e o deixam acima de Cristiano Ronaldo

Por Luís Curro

O gol é a essência do futebol, o momento de maior alegria, o que todo jogador almeja ao entrar em campo, especialmente os atacantes.

E são os gols que tornam os jogadores mais famosos, mais reconhecidos, “melhores” que os que não balançam tanto as redes.

Pelé, com seus 1.284 gols, é um do maiores goleadores da história. Romário também chegou aos mil gols, assim como Túlio Maravilha.

O português Cristiano Ronaldo, 30 anos, e o argentino Messi, 28 anos, que estão em plena atividade (o argentino recupera-se de lesão), já passaram a marca dos 500.

Neymar, o grande nome do Brasil há uns quatro anos, ultrapassou os 250 em 2015. E tem apenas 23 anos.

El jugador Neymar de Barcelona, festeja su anotación durante el partido del Grupo E de la Liga de Campeones de la Unión de Federaciones de Fútbol Europeas (UEFA, por sus siglas en inglés) ante Bate Borisov, celebrado en el Estadio Camp Nou, en la ciudad de Barcelona, España, el 4 de noviembre de 2015. (Xinhua/John Walton
Neymar comemora no Camp Nou; brasileiro fez dois gols e deu uma assistência contra o Bate (John Walton – 4.nov.2015/Xinhua)

Porém uma parte considerável dos gols conta com outro fator importantíssimo: o passe para o gol, a assistência.

É possível dizer que a assistência tem o mesmo peso de um gol?

Lógico que não.

Mas sua importância é considerável. Há casos em que um jogador deixa o colega em excelente condição de fazer o gol.

Messi, do Barcelona, é reconhecidamente um grande “garçom”. E Neymar vai se firmando também nesse papel.

Considerando a soma de gols e assistências, Neymar figura hoje, entre os grandes nomes do futebol europeu, acima de Cristiano Ronaldo, superastro do Real Madrid.

Os dois gols que fez contra o Bate Borisov, de Belarus, nesta quarta (4), pela Champions League, acrescidos de uma assistência, deixaram Neymar, nesta temporada, com 11 gols e 6 assistências em 13 partidas pelo Barça (somando Espanhol e Champions).

Ou seja, participação direta em 17 gols, média de 1,3 por jogo.

Cristiano Ronaldo, sempre uma referência (é o atual melhor do mundo da Fifa), também considerando jogos pelo Espanhol e pela Champions, marcou 13 gols, mas deu apenas duas assistências.

Participação em 15 gols, dois a menos que Neymar.

No quesito assistências, não há, entre os artilheiros desta temporada nas principais ligas europeias, ninguém melhor que Neymar, maior goleador do Espanhol (La Liga), com 9 gols – Cristiano Ronaldo está com 8.

Na Alemanha, tanto Lewandowski, do Bayern de Munique, quanto o Aubameyang, do Borussia Dortmund, somam 13 gols na Bundesliga e dividem a artilharia.

Considerando também a fase de grupos da Champions, no caso do polonês, e a fase de grupos da Liga Europa, no caso do gabonense, as marcas sobem, respectivamente, para 17 e 16 gols.

São os grandes goleadores do momento. No entanto, e o número de assistências nessas partidas? Em 14 jogos, Lewandowski registra uma única participação que resultou em gol. Aubameyang deu três assistências – a metade de Neymar no mesmo número de jogos (13).

Na Inglaterra, Vardy, do Leicester, marcou 11 gols em 12 jogos (Inglês mais Copa da Liga Inglesa). Quantas assistências tem o atacante inglês? Uma.

Na Itália, Eder, brasileiro que conta com cidadania italiana, fez 9 gols e deu duas assistências em 11 jogos pelo Italiano.

Na França, o jovem belga Batshuay (22 anos), do Olympique de Marselha, em 13 partidas (Francês e Liga Europa) tem 9 gols e 3 assistências.

Na Holanda, o principal goleador da Eridivisie é o veterano Kuyt (35 anos), do Feyenoord. Em 11 jogos, 10 gols. Seu número de assistências: zero.

E, em Portugal, o brasileiro Jonas (ex-Grêmio, ex-Santos), também já trintão (31), soma 9 gols e uma assistência em 13 partidas pelo Benfica (por Português e Champions League).

Ou seja, o que diferencia Neymar da concorrência no momento é sua capacidade de servir com mais assiduidade seus companheiros, de mais vezes dar aquele último toque antes de o colega estufar as redes.

A combinação alto número de gols e de assistências é uma das mais valiosas no futebol: alia individualidade e solidariedade. Raríssimo jogadores conseguem esse somatório.

Neymar tem conseguido.

X

Em tempo 1: O levantamento considera apenas os artilheiros dos principais campeonatos nacionais europeus (Alemanha, Espanha, Inglaterra, Holanda, Itália, França e Portugal). Na Rússia, Hulk está incrível. É rei nas assistências em 2015-2016. Em 17 jogos (13 pelo Russo e 4 pela Champions League), o brasileiro tem nada menos que 15 passes para gol. E também não deixa de fazer os seus gols. Já são 10. Ou seja, Hulk tem presença efetiva em 25 gols – média de 1,5 por partida. Impressionante.

Em tempo 2: Será que Dunga escalará Neymar e Hulk juntos no ataque do Brasil contra a Argentina, pelas eliminatórias da Copa de 2018, daqui a uma semana? Parece hoje uma combinação ótima combinação.