Os caras de Dunga – Não a Oscar, sim a Lucas Lima

Por Luís Curro

Daqui a nove dias, o Brasil estará em campo, em Buenos Aires, para enfrentar seu maior rival, a Argentina, no terceiro jogo de ambos pelas eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia-2018.

Uma Argentina sem Messi (e sem Agüero) e desesperada para conseguir sua primeira vitória. Até aqui, perdeu do Equador e empatou com o Paraguai. O Brasil perdeu do Chile e ganhou da Venezuela.

Apoiados pela torcida, Di María, Higuaín, Tevez, Gaitán e companhia irão com tudo para cima dos comandados de Dunga, os laterais Zabaleta e Rojo (ou Más) devem apoiar com insistência, será sem dúvida um sufoco, especialmente nos minutos iniciais.

Além de armar o time para suportar essa pressão, o que se faz essencialmente com bom posicionamento em campo e ótimo preparo físico, Dunga precisa, repito, precisa, treinar jogadas de contra-ataque.

Os contra-ataques vão existir. Vários. E, com a volta de Neymar, o Brasil ganhará em velocidade. Se o time souber o que fazer quando pegar a bola, conseguirá chegar várias vezes na cara do goleiro Romero, com a defesa rival desarmada, e pode até deixar a capital argentina com uma goleada histórica.

E quem o Brasil tem que sabe o que fazer quando pega a bola, sabe puxar um contra-ataque, sabe lançar os companheiros com precisão?

Lucas Lima.

X

Há várias rodadas, o meia canhoto de 25 anos está estraçalhando pelo Santos. A bola passa pelos pés dele, é quase certo que sairá coisa boa, especialmente se há necessidade de imprimir velocidade.

Não se cansa de dar passes e lançamentos perfeitos ora para Gabriel, ora para Ricardo Oliveira, ora para Marquinhos Gabriel, ora para Geuvânio, ora para quem estiver por ali, podem ser os laterais Daniel Guedes e Zeca.

Escrevo sobre a necessidade de Dunga escalar Lucas Lima e lembro o que escrevi antes da partida diante do Chile, em Santiago, quando tudo indicava que o contra-ataque seria a melhor arma brasileira.

Dunga foi de Oscar. Deu no que deu, Chile 2 a 0.

Oscar não é mau jogador, pelo contrário. Já defende a seleção há vários anos, foi titular em Jogos Olímpicos (2012), Copa das Confederações (2013), Copa do Mundo (2014). Se não fosse bom, não teria sido. Se não fosse bom, Dunga não insistiria em convocá-lo.

(Além disso, fez o gol de honra do Brasil no vexaminoso 7 a 1 da Alemanha na Copa no Brasil – se não fosse por Oscar, teria sido 7 a 0…)

Só que Oscar, além de não ter as características de um armador clássico (como não as têm Kaká, nem Willian, nem Renato Augusto, outras opções de meias ofensivos de Dunga), amarga uma fase muito ruim, acompanhando a toada de seu clube, o Chelsea, 15º colocado no Campeonato Inglês.

Não faz um gol (sem contar disputa de pênaltis) desde 16 de setembro, quando o Chelsea goleou o Maccabi Tel Aviv, de Israel, por 4 a 0 na Champions League. Depois, seu futebol minguou e nem titular conseguiu ser em todas as partidas do time.

Oscar pode até, se for escalado por José Mourinho, fazer uma grande apresentação nesta quarta (4), quando o Chelsea recebe pela Champions o Dínamo de Kiev. Mas não terá sido a regra dele nesta temporada.

Diferentemente de Lucas Lima, que tem seguido à risca essa mesma regra: jogar bem.

A seguir, o desempenho de cada jogador convocado por Dunga (8 dos 23 atuam no Brasil), nos últimos sete dias:

Goleiros

Alisson (Internacional) – Goiás 2 x 1 Internacional (Brasileiro). No fim do 1º tempo, saiu mal do gol e quase levou um por cobertura – já tinha cometido falha similar minutos antes. No 2º, fez golpe de vista, malsucedido, no gol de empate, de Zé Love. E, em chute de longe de Bruno Henrique, calculou mal o tempo da bola e quase engoliu um frango. Ruim

Cássio (Corinthians) – Atlético-MG 0 x 3 Corinthians (Brasileiro). Fez três defesas (fáceis) no 1º tempo, segurando o 0 a 0. No 2º, quando o Corinthians deslanchou, não foi exigido. Bom

Jefferson (Botafogo) – Botafogo 1 x 0 Bahia (Brasileiro – Série B). Fez uma defesa milagrosa em cabeçada, no 1º tempo. No fim do jogo, assegurou a vitória com uma intervenção segura. Ótimo

Defesa

Daniel Alves (Barcelona-ESP) – Villanovense 0 x 0 Barcelona (Copa do Rei). Poupado, ficou no banco de reservas. Jogou Douglas, ex-São Paulo. Getafe 0 x 2 Barcelona (Espanhol). Quase não foi exigido na marcação e aproveitou para apoiar, mas foi pouco efetivo na criação de jogadas. Regular

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Bologna 0 x 1 Inter (Italiano). O ataque do Bologna não lhe deu trabalho. Inter 1 x 0 Roma (Italiano). Esperava-se mais da Roma, que não correspondeu. Pouquíssimas intervenções do beque brasileiro, que ajudou a Inter a completar mais um jogo sem levar gol – isso ocorreu em quatro dos últimos cinco. Bom

David Luiz (PSG-FRA) – Rennes 0 x 1 PSG (Francês). Ainda em recuperação de lesão no joelho, não foi relacionado para o jogo. Sem avaliação

Marcelo festeja com Jesé o gol do colega contra o Las Palmas (Ballesteros - 31.out.2015/EFE)
Marcelo festeja com Jesé o gol do colega contra o Las Palmas (Ballesteros – 31.out.2015/EFE)

Marcelo (Real Madri-ESP) – Real Madrid 3 x 1 Las Palmas (Espanhol). Bom no ataque, o que não é novidade. No segundo gol do Real, cruzou a bola na cabeça de Cristiano Ronaldo. Bom

Danilo (Real Madrid-ESP) – Real Madrid 3 x 1 Las Palmas (Espanhol). Dedicou-se mais à defesa que ao apoio. Sabe e pode jogar mais. Regular

Marquinhos (PSG-FRA) – Rennes 0 x 1 PSG (Francês). Contundiu-se na coxa em treinamento e não foi relacionado para a partida. Sem avaliação

Gil (Corinthians) – Atlético-MG 0 x 3 Corinthians (Brasileiro). Não cometeu nenhum deslize na marcação dos atacantes do Galo. Bom

Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP) –Deportivo La Coruña 1 x 1 Atlético de Madri (Espanhol). O Deportivo não ameaçou pelo seu setor – o gol saiu em falha clamorosa do zagueiro uruguaio Giménez. Tímido no apoio ao ataque. Regular

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – Wolfsburg 0 x 3 Bayern de Munique (Copa da Alemanha). No primeiro gol do Bayern, foi driblado por Douglas Costa. Na jogada do segundo gol, de Müller, deu um carrinho inócuo. No terceiro gol, só observou o chute de Müller. Wolfsburg 2 x 1 Bayer Leverkusen (Alemão). Em seu tradicional ritmo (lento), não se destacou nem comprometeu. Ruim

Elias (Corinthians) – Atlético-MG 0 x 3 Corinthians (Brasileiro). Suspenso, não jogou. Sem avaliação

Fernandinho (Manchester City-ING) – Manchester City 5 x 1 Crystal Palace (Copa da Liga Inglesa). Poupado pelo trenador Pellegrini, não ficou nem no banco. Manchester City 2 x 1 Norwich (Inglês). De volta ao onze inicial do City, sua atuação foi mediana, sem brilho. Regular

Oscar (Chelsea-ING) – Stoke City (5)1 x 1(4) Chelsea (Copa da Liga Inglesa). Teve uma chance em chute da entrada da grande área, porém o goleiro salvou. Converteu sua cobrança na disputa de pênaltis. Chelsea 1 x 3 Liverpool (Inglês). Sumido na partida, em um raro lampejo, quase fez um gol de Pelé na metade do 2º tempo: chutou do meio do campo, tentando encobrir o adiantado Mignolet, que se recuperou e mandou para escanteio. Ruim

Oscar na partida em que o Chelsea foi eliminado pelo Stoke da Copa da Liga Inglesa (Alex Morton - 27.out.2015/Reuters)
Oscar na partida em que o Chelsea foi eliminado pelo Stoke da Copa da Liga Inglesa (Alex Morton – 27.out.2015/Reuters)

Willian (Chelsea-ING) – Stoke City (5)1 x 1(4) Chelsea (Copa da Liga Inglesa). Correu muito, tentou jogadas pelas pontas e pelo meio, chutou a gol, bateu faltas, mas nada deu certo. Converteu sua cobrança na disputa de pênaltis. Chelsea 1 x 3 Liverpool (Inglês). Como diante do Stoke, bastante ativo, mas insuficiente para salvar os Blues de mais um revés. Regular

Lucas Lima (Santos) – Santos 3 x 1 São Paulo (Copa do Brasil). Em 25 minutos, o Santos fez três gols e definiu o jogo e a classificação para a final, e Lucas Lima participou de cada um deles. No primeiro, pegou a bola no campo de defesa, se livrou de um adversário e lançou para Gabriel, que serviu Ricardo Oliveira. No segundo, fez lançamento para Marquinhos Gabriel, que acertou o ângulo de Rogério Ceni. No terceiro, cruzou na medida para Ricardo Oliveira completar. Com o placar construído, saiu aos 13 minutos do 2º tempo – entrou Geuvânio. Santos 2 x 1 Palmeiras (Brasileiro). Mais uma vez articulou, com sua visão privilegiada, as jogadas santistas. No primeiro gol, serviu Zeca na esquerda, e o lateral cruzou para Thiago Maia marcar. Foi substituído por Serginho aos 41 minutos do 2º tempo. Ótimo

Renato Augusto (Corinthians) – Atlético-MG 0 x 3 Corinthians (Brasileiro). Mostrou bom entrosamento com Malcom no 1º tempo pelo setor esquerdo do ataque. No 2º tempo, participou ativamente da jogada do terceiro gol, tabelando com Vagner Love e cruzando para Lucca fazer o terceiro gol do virtual campeão do BrasileiroBom

Kaká (Orlando City-EUA) – O time não se classificou para os playoffs da Major League. Está de fériasSem avaliação

Ataque

Neymar (Barcelona-ESP) – Villanovense 0 x 0 Barcelona (Copa do Rei). Poupado, não foi relacionado para o jogo. Getafe 0 x 2 Barcelona (Espanhol). Movimentou-se muito pela esquerda do campo, onde gosta de jogar e por onde, no 1º tempo, iniciou a jogada do gol de Suárez. No 2º tempo, fez um golaço: lançado por Sergi Roberto na área, chutou de primeira, de canhota. E ainda deu drible desconcertante em Juan Rodríguez antes de deixar Jordi Alba na cara do goleiro – o lateral desperdiçou. Ótimo

Neymar domina a bola no jogo do Barcelona contra o Getafe (Javier Soriano - 31.out.2015/AFP)
Neymar domina a bola no jogo do Barcelona contra o Getafe (Javier Soriano – 31.out.2015/AFP)

Hulk (Zenit-RUS) – Zenit 5 x 0 Tosno (Copa da Rússia). Saiu de campo, lesionado na coxa, aos 20 minutos do 1º tempo, com o Zenit ganhando por 2 a 0. Zenit 0 x 0 Mordovia Saransk (Russo). Lesionado, não jogou. Regular

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Wolfsburg 0 x 3 Bayern de Munique (Copa da Alemanha). Jogando mais centralizado, não perdeu o rendimento e ainda fez um golaço: recebeu a bola na entrada da área, fintou Luiz Gustavo e chutou no ângulo de Benaglio. Eintracht Frankfurt 0 x 0 Bayern (Alemão). No jogo em que o Bayern perdeu seu primeiro ponto na Bundesliga, jogou menos do que o habitual. Teve uma chance no 2º tempo, mas o goleiro Hradecky (eslovaco com nacionalidade finlandesa) defendeu. Bom

Ricardo Oliveira (Santos) – Santos 3 x 1 São Paulo (Copa do Brasil). Implacável, o artilheiro santista deixou sua marca duas vezes, ambos em chutes na grande área, após passes de Gabriel (primeiro gol) e Lucas Lima (terceiro gol). Santos 2 x 1 Palmeiras (Brasileiro). O entrosamento do capitão do time com Lucas Lima e com os colegas de ataque Gabriel e Marquinhos Gabriel está cada vez melhor. No começo do segundo tempo, fez seu gol, o segundo santista, ao tocar de cabeça cruzamento perfeito de Gabriel. Foi seu 20º gol no Brasileiro. Ótimo