Os caras de Dunga – Volta de Neymar deixa ex-são-paulinos ameaçados

Por Luís Curro

Dunga convoca a seleção brasileira nesta quinta (22) para as partidas de novembro das eliminatórias para a Copa do Mundo da Rússia.

Os adversários serão a Argentina, fora de casa, no dia 12 (uma quinta-feira), e Peru, no Maracanã, no dia 17 (uma terça-feira).

Neymar, encerrada a suspensão da Conmebol pela expulsão em jogo da Copa América, estará de volta. Então, alguém perderá o lugar: primeiro, na convocação; segundo, no time titular.

Quem?

X

A relação

A lógica indica que o favorito para ficar fora da lista de convocados é Kaká, que só foi chamado para enfrentar Chile (derrota por 2 a 0) e Venezuela (vitória por 3 a 1), neste mês, devido ao corte de Philippe Coutinho (Liverpool).

Dos atletas presentes nas primeiras partidas do Brasil para o Mundial de 2018, os ex-são-paulinos Oscar e Lucas não estão, tecnicamente, muito melhores que Kaká (também ex-são-paulino) neste momento. Todos os três têm jogado menos do que podem e sabem. Mas, a meu ver, o meia do Chelsea e o atacante do PSG contam com a preferência de Dunga.

O já veterano Kaká, 33 anos, por mais que não se fale abertamente, até em respeito ao seu histórico, é neste momento um mero tapa-buraco na seleção.

Dunga se permite deixá-lo nessa condição devido à personalidade colaborativa do jogador do Orlando City. Kaká vive momento “patriota”: estar no grupo já é bom; se der para jogar, melhor, se não der, tudo bem.

Caso Dunga decida incluir Kaká, deve sobrar para Renato Augusto. Seria uma pena, pois o corintiano tem jogado demais, assim como o santista Lucas Lima.

Kaká está em jejum de gols pelo Orlando desde 4 de julho (Leo Correa - 11.out.2015/MoWA Press)
Kaká está em jejum de gols pelo Orlando desde 4 de julho (Leo Correa – 11.out.2015/MoWA Press)

A escalação

Neymar voltará, vestirá a camisa 10 e será titular. Quem sai da equipe?

Contra a Venezuela, assim Dunga escalou o Brasil: Alisson; Daniel Alves, Miranda, Marquinhos e Filipe Luís; Luiz Gustavo e Elias; Willian, Oscar e Douglas Costa; Ricardo Oliveira. Um 4-2-3-1.

Pelo desempenho dos quatro homens de frente nesse jogo, e, mais que isso, pelo momento atual de cada um, quem tem de sair, sem pestanejar, é Oscar.

Nesse caso, porém, como jogaria Neymar? Pelo meio, simplesmente fazendo a função de Oscar? Pela esquerda, no espaço ocupado por Douglas Costa, onde brilha no Barcelona e sempre brilhou em toda a carreira? Pela direita, onde tem atuado Willian, em estratégia para surpreender os argentinos? Um pouco do tempo em cada lugar, até mesmo de centroavante, mais perto do gol, para potencializar seu lado artilheiro?

Voltarei ao assunto. Qual sua opinião? Comente.

A seguir, o desempenho de cada jogador convocado pela última vez por Dunga (8 dos 23 atuam no Brasil) nos últimos seis dias:

Goleiros

Alisson (Internacional) – Atlético-MG 2 x 1 Internacional (Brasileiro). Poupado, não atuou. Flamengo 0 x 1 Internacional (Brasileiro). Contou com a má pontaria dos flamenguistas, que erraram demais nas finalizações – a trave também ajudou uma vez. Fez boa defesa em chute de Guerrero no 2º tempo. Bom

Jefferson (Botafogo) – Botafogo 4 x 0 Bragantino (Brasileiro – Série B). Na única vez em que foi exigido, fez uma ótima defesa em uma cabeçada, no 2º tempo. Bom

Marcelo Grohe (Grêmio) – Grêmio 1 x 0 Santos (Brasileiro). Lesionado no ombro, não foi relacionado para a partida. Grêmio 2 x 3 Chapecoense (Brasileiro). Ainda em recuperação, mais uma vez ficou fora. Sem avaliação

Defesa

Daniel Alves (Barcelona-ESP) – Barcelona 5 x 2 Rayo Vallecano (Espanhol). Não conseguiu se antecipar a Javi Guerra, autor do primeiro gol do jogo – os quatro seguintes foram de Neymar. Não teve papel fundamental no ataque e já não estava em campo quando o Barça levou o segundo gol – deu lugar a Douglas aos 33 minutos do 2º tempo. Regular

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Inter 0 x 0 Juventus (Italiano). A Juventus não criou muitas oportunidades, então teve pouco trabalho contra os atacantes Morata e Zaza. Levou cartão amarelo nos acréscimos do 2º tempo, após cometer uma falta. Bom

David Luiz (PSG-FRA) – Bastia 0 x 2 PSG (Francês). Contundido no joelho, não ficou nem no banco. Sem avaliação

Marcelo (Real Madri-ESP) – Real Madrid 3 x 0 Levante (Espanhol). Sem grandes preocupações na defesa, dedicou-se a apoiar o ataque.  Depois de tabelar com Cristiano Ronaldo, abriu o placar em chute de dentro da área. Está em grande forma, e ao que parece a atuação fraca contra os chilenos foi um ponto fora da curva – todo o time brasileiro jogou mal em Santiago. Ótimo

Fabinho (Monaco-FRA) – Monaco 1 x 1 Lyon (Francês). Razoável no combate, discreto no apoio, como é praxe. Regular

Marquinhos (PSG-FRA) – Bastia 0 x 2 PSG (Francês). Substituto de David Luiz, esteve seguro ao lado de Thiago Silva. Levou cartão amarelo depois de cometer uma falta. Bom

Gil (Corinthians) – Corinthians 3 x 0 Goiás (Brasileiro). O Goiás não lhe deu absolutamente nenhum trabalho. Atlético-PR 1 x 4 Corinthians (Brasileiro). Novamente bem atrás, ainda foi à frente e deu uma assistência: após escanteio, desviou de cabeça para Renato Augusto concluir e abrir o placar. Bom

Filipe Luís (Atlético de Madri-ESP) – Real Sociedad 0 x 2 Atlético de Madri (Espanhol). Pouco exigido na marcação, teve alguns bons lampejos no apoio. Evitou o gol de empate no 2º tempo ao tirar a bola da pequena área em jogada perigosa. Bom

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – Wolfsburg 4 x 2 Hoffenheim (Alemão). Correto na marcação, foi importante no ataque. Com o jogo empatado em 2 a 2, deu o passe para Kruse fazer o terceiro gol do Wolfsburg. Recebeu um cartão amarelo. Bom

Elias (Corinthians) – Corinthians 3 x 0 Goiás (Brasileiro). Poupado, ficou na reserva. Atlético-PR 1 x 4 Corinthians (Brasileiro). Jogou com a disposição habitual, marcando com eficácia e apoiando o ataque. Após roubo de bola na intermediária atleticana, recebeu de Renato Augusto, invadiu a área e deixou o companheiro sem goleiro para marcar o segundo gol da goleada. Foi substituído por Cristian aos 36 minutos do 2º tempo. Bom

Fernandinho (Manchester City-ING) – Manchester City 5 x 1 Bournemouth (Inglês). Perdeu a vaga de titular na seleção, mas no City é intocável. Iniciou a jogada do primeiro gol ao lançar Zabaleta na direita – o lateral tocou de cabeça e a bola, após passar por Bony, chegou até Sterling, que marcou. Correu bastante para conter o toque de bola do Bournemouth, que, apesar de goleado, apresentou bom futebol do meio para a frente. Bom

Oscar, do Chelsea, não faz um gol desde 16 de setembro (Stefan Wermuth Livepic - 16.set.2015/Reuters)
Oscar, do Chelsea, não faz um gol desde 16 de setembro (Stefan Wermuth Livepic – 16.set.2015/Reuters)

Oscar (Chelsea-ING) – Chelsea 2 x 0 Aston Villa (Inglês). Ficou na reserva. Em seu lugar atuou o inglês Ruben Loftus-Cheek, de 19 anos. Sem avaliação

Willian (Chelsea-ING) – Chelsea 2 x 0 Aston Villa (Inglês). Está prestigiado por José Mourinho – é um dos que têm tido vaga cativa entre os titulares, sendo que até o então intocável Hazard esquentou o banco. Atento, aproveitou bobeira do zagueiro Lescott, roubou a bola, entrou na área e rolou para Diego Costa fazer 1 a 0. Recebeu um cartão amarelo e foi substituído por Remy nos acréscimos do 2º tempo. Bom

Lucas Lima (Santos) – Grêmio 1 x 0 Santos (Brasileiro). No 1º tempo, esteve ativo na criação e deixou Leandro em boa condição de marcar. Além disso, em cobrança de falta, acertou a trave. Caiu de produção no 2º tempo. Santos 3 x 1 Goiás (Brasileiro). Jogou mais que na partida anterior. Somente no 1º tempo, iniciou a jogada do terceiro e deu três ótimos passes no 1º tempo para colegas concluírem a gol – as chances foram desperdiçadas. De novo, seu ritmo foi menos intenso no 2º tempo. Saiu do jogo aos 41 minutos – entrou Vitor Bueno. Bom

Renato Augusto (Corinthians) – Corinthians 3 x 0 Goiás (Brasileiro). Com Elias poupado, ficou um pouco mais preso, fazendo as vezes de segundo volante e liberando Rodriguinho. Armou com qualidade e teve uma chance de fazer um gol no 2º tempo – a bola tocou na rede pelo lado externo. Aos 42 minutos do 2º tempo, foi substituído por Cristian. Atlético-PR 1 x 4 Corinthians (Brasileiro). Uma das melhores atuações do meia com a camisa alvinegra – “exuberante”, segundo Juca Kfouri. Fez dois gols, o primeiro e o terceiro (ambos na pequena área, o primeiro de cabeça, após desvio de Gil, o segundo já sem goleiro, depois de tabelar com Elias), e ainda deu ótimo passe para o segundo gol, de Vagner Love. Foi substituído por Rodriguinho aos 32 minutos do 2º tempo. Ótimo

Kaká (Orlando City-EUA) – Orlando 2 x 1 New York City (Major League). Não foi relacionado para o jogo. Sem avaliação

Ataque

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Werder Bremen 0 x 1 Bayern (Alemão). Poupado, ficou no banco de reservas. Sem avaliação

Lucas (PSG-FRA) – Bastia 0 x 2 PSG (Francês). O treinador Blanc decidiu poupar Di María, e Lucas teve chance no 11 inicial. Desperdiçou. Muita correria, nem um único chute a gol. Substituído aos 28 minutos do 2º tempo por Lavezzi, viu de fora o lateral Aurier fazer o que se esperava do ex-são-paulino: ir à linha de fundo e cruzar para Ibrahimovic marcar. Ruim

Lucas, do PSG, não balança as redes desde 7 de agosto (Franck Fife - 11.out.2015/AFP)
Lucas, do PSG, não balança as redes desde 7 de agosto (Franck Fife – 11.out.2015/AFP)

Ricardo Oliveira (Santos) – Grêmio 1 x 0 Santos (Brasileiro). Poupado, não foi relacionado para a partida. Santos 3 x 1 Goiás (Brasileiro). Voltou a atuar em grande estilo. Fez dois gols no 1º tempo, ambos de pé esquerdo, e marcou presença na área constantemente – teve ao menos outras três chances, sendo que em uma delas a trave salvou o Goiás. É o artilherio do Brasileiro, com 19 gols. Diz estar no augeÓtimo

Hulk (Zenit-RUS) – Kuban Krasnodar 2 x 2 Zenit (Russo). Bem marcado, não rendeu o de costume, tendo dificuldades para concluir a gol – bateu uma falta para fora. Deu o passe para o primeiro gol da equipe. Ganhou um cartão amarelo depois de fazer uma falta. Regular