Compra de cueca pode render um dia com Cristiano Ronaldo

Por Luís Curro

Comprar uma camisa da seleção portuguesa autografada por Cristiano Ronaldo por US$ 5.000 (mais de R$ 20 mil), ou uma chuteira assinada pelo craque do Real Madrid por US$ 10 mil (mais de R$ 40 mil), ou uma bola com a firma do CR7 por US$ 20 mil (mais R$ 80 mil).

Ou que tal uma “pechincha”, uma cueca (autografada, claro), por US$ 2.500 (mais de R$ 10 mil)?

Tudo muito caro?

Talvez haja quem ache isso relativo. Uma aquisição dessas, além de ajudar a instituição sem fins lucrativos Artists for Peace and Justice (Artistas pela Paz e Justiça), dá ao comprador a chance de ser sorteado para passar um dia inteiro com Cristiano Ronaldo.

Mas não um dia qualquer.

Será o dia do primeiro duelo entre Real Madrid e Barcelona na temporada 2015-2016 do Campeonato Espanhol. 22 de novembro deste ano. Com direito ao ingresso para a partida.

Quanto maior o valor da compra, feita pelo site norte-americano Omaze, especializado em sorteios e leilões, maior a chance de ganhar.

Há opções mais em conta para quem deseja concorrer, como uma camiseta “edição limitada” por US$ 100 (R$ 400). Essa, porém, não está autografada…

Um dia com Cristiano Ronaldo; quem se habilita? (Vincent West - 23.set.2015/Reuters)
Um dia com Cristiano Ronaldo; quem se habilita? (Vincent West – 23.set.2015/Reuters)

“Está pronto para ser totalmente surpreendido?”, pergunta Cristiano Ronaldo no anúncio da “promoção”.

O dia com o CR7, antes da ida ao Santiago Bernabéu, inclui outras atividades, entre as quais:

– acompanhar o ídolo em uma refeição;

– acompanhar o ídolo em roda de autógrafos;

– acompanhar o ídolo em bate-bola com fãs;

– acompanhar o ídolo em ida ao cabeleireiro – e ajudá-lo a escolher o tipo de corte que ele usará no jogo;

– ser o convidado VIP do ídolo no estádio (quais as vantagens de ser VIP?; não sei, não dizem).

No vídeo, Cristiano Ronaldo afirma “mesmo que você perca, você ganha”, já que a arrecadação será destinada “a uma escola no Haiti”. “É por uma grande causa”, frisa o três vezes melhor jogador do mundo.

Caridade à parte, pelo custo e pelo prêmio, é uma empreitada para fã mesmo.

E não qualquer fã. Tem que ser um super-ultra-hiper fã. E que tenha uma super-ultra-hiper sorte.