Os caras de Dunga – Contusões desfalcam um lado da defesa

Por Luís Curro

Dunga convoca nesta quinta (17) os jogadores que defenderão o Brasil na primeira rodada das eliminatórias para a Copa da Rússia-2018. As partidas serão no início de outubro, contra Chile, fora, e Venezuela, em casa.

O treinador deve manter em sua lista a ampla maioria dos chamados da última vez, que estiveram nos Estados Unidos para os amistosos contra Costa Rica (Brasil 1 a 0) e EUA (Brasil 4 a 1).

A defesa, que se mostrou sólida nessas partidas, é o setor que mais preocupa, devido a contusões. Um dos lados da retaguarda, o direito, neste momento está combalido.

O lateral direito Danilo e o zagueiro central e capitão Miranda se lesionaram nesse período nos EUA e não devem se recuperar a tempo de voltar aos treinos e adquirir a forma necessária para os jogos pelas eliminatórias.

Considero Fabinho, do Monaco, fraco para a lateral direita.

Daniel Alves, que logo deve estar de volta às partidas Barcelona, depois de um tempo fora por lesão, será possivelmente a primeira alternativa de Dunga. Nem tanto pelo que está jogando, andou falhando em jogo importante, mas pela experiência e pela falta de uma opção melhor.

Lembrei de Rafael, ex-Manchester United, hoje no Lyon. Sabe jogar, mas a fase não ajuda – nem titularidade assegurada no clube francês ele tem.

Para o lugar de Miranda, o beque que atua pelo setor direito, Dunga tem Marquinhos ou Gabriel Paulista. Nenhum é espetacular, nenhum é deplorável.

Porém o mais adequado será resgatar Thiago Silva, o capitão “chorão” do Brasil na Copa de 2014.

Thiago Silva, o capitão do PSG, em ação contra o Bordeaux (Kenzo Tribouillard - 11.set.2015/AFP)
Thiago Silva, o capitão do PSG, em ação contra o Bordeaux (Kenzo Tribouillard – 11.set.2015/AFP)

Thiago Silva cometeu um erro grotesco na Copa América deste ano ao meter a mão na bola na área, ofertando um pênalti para o Paraguai, mas é geralmente muito confiável na marcação e uma arma ofensiva na bola parada: tem ótimas impulsão e colocação e cabeceia muito bem. Não menos importante, forma a dupla de zaga do PSG com David Luiz, o titular de Dunga na quarta zaga.

Na lateral esquerda, Marcelo neste momento é disparado o melhor. Filipe Luis, do Atlético de Madrid, recuperado de contusão, deve ser seu reserva. Douglas Santos é adequado para a seleção olímpica.

O time de Dunga está bem servido de volantes, com o trio Luiz Gustavo, Elias e Fernandinho. Todos têm sido consistentes em suas equipes.

Do meio para a frente, tenho várias dúvidas. Não sei se Roberto Firmino, do Liverpool, e o veterano Kaká, do Orlando, merecem ser chamados.

Gostaria de ver Luiz Adriano, do Milan, ou o jovem Luan (22 anos), do Grêmio, na vaga de Firmino, que não vem jogando bem. Para o lugar de Kaká, se há um jogador que merece uma chance, é Renato Augusto, do Corinthians. Mas talvez Dunga opte por Oscar, do Chelsea, que deve em breve voltar a atuar após se recuperar de contusão.

Neymar, suspenso, está fora, o que abre espaço para alguém. Será que os “chineses” Robinho e Diego Tardelli terão nova chance? E Alexandre Pato, em boa fase no São Paulo, ou Ricardo Oliveira, o artilheiro do Brasileiro, serão lembrados?

Deixo ao leitor o convite para dar sugestões para as posições de defesa, meio e ataque, além dos nomes apresentados mais abaixo.

Eis a lista completa de Dunga (19 dos 24 atuam fora do Brasil) e o desempenho de cada atleta na semana que passou, pós-amistosos:

Goleiros

Marcelo Grohe (Grêmio) – Grêmio 1 x 2 São Paulo (Brasileiro). Um torcicolo o tirou da partida. Sem avaliação

Jefferson (Botafogo) – Mogi Mirim 0 x 3 Botafogo (Brasileiro – Série B). Quando exigido, em chute de fora da área no 2º tempo, fez boa defesa. Bom

Alisson (Internacional) – Coritiba 0 x 1 Internacional (Brasileiro). Com o Inter bastante pressionado no 2º tempo, fez três grandes defesas e assegurou a vitória. Ótimo

Defesa

Danilo (Real Madrid-ESP) – Espanyol 0 x 6 Real Madrid (Espanhol). Contundido no pé, não participou do espetáculo de Cristiano Ronaldo, que marcou nada menos que cinco gols. A lesão deve afastá-lo dos campos por um mês. Sem avaliação

Miranda (Inter de Milão-ITA) – Inter 1 x 0 Milan (Italiano). Lesionado no joelho direito, não jogou. Seu tempo de recuperação é de 10 a 25 dias. Sem avaliação

David Luiz (PSG-FRA) – PSG 2 x 2 Bordeaux (Francês). Poupado, ficou na reserva. Sem avaliação

Marcelo (Real Madri-ESP) – Espanyol 0 x 6 Real Madrid (Espanhol). Em partida inspirada de Cristiano Ronaldo, não precisou se dedicar tanto às jogadas ofensivas. Atrás, esteve bem. Bom

Fabinho (Monaco-FRA) – Ajaccio 0 x 1 Monaco (Francês). Marcou, de pênalti, o gol do jogo. Atuou no meio-campo, de volante, como ocorre em algumas partidas pela equipe, e teve rendimento acima do normal. Bom

Marquinhos (PSG-FRA) – PSG 2 x 2 Bordeaux (Francês). Substituiu David Luiz e não comprometeu. Os dois gols tomados pelo PSG, que perdeu o aproveitamento de 100% no campeonato, foram culpa do goleiro Trapp. Bom

Gabriel Paulista (Arsenal-ING) – Arsenal 2 x 0 Stoke (Inglês). Voltou a substituir o alemão Mertesacker e não deu chance ao pouco ameaçador ataque rival. Bom

Douglas Santos (Atlético-MG) – Cruzeiro 1 x 1 Atlético (Brasileiro). Ativo no apoio no 1º tempo, caiu de rendimento no 2º. Regular

Meio-campo

Luiz Gustavo (Wolfsburg-ALE) – Ingolstadt 0 x 0 Wolfsburg (Alemão). A primeira função de Luiz Gustavo é marcar, e ele mais uma vez fez isso adequadamente. De quebra, aventurou-se no ataque e tentou o gol duas vezes. Levou um cartão amarelo ao cometer falta aos 34 minutos do 2º tempo e foi substituído três minutos depois. Bom

Fernandinho (Manchester City-ING) – Crystal Palace 0 x 1 Manchester City (Inglês). Firme na marcação, adequado na armação, firmou-se como titular do líder da Premier League. Tentou o gol em chute no 2º tempo, mas errou o alvo. Bom

Willian (Chelsea-ING) – Everton 3 x 0 Chelsea (Inglês). O Chelsea continua muito mal, e para Willian as coisas pioraram. Não só não começou jogando como nada conseguiu fazer ao entrar no lugar de Fàbregas aos 29 minutos do 2º tempo. Ruim

Lucas Lima (Santos) – Ponte Preta 3 x 1 Santos (Brasileiro). No dia em que o Santos perdeu, em Campinas, uma invencibilidade de 13 jogos, esteve no nível médio que apresentou nos amistosos da seleção, ou seja, ainda longe daquele jogador que fez por merecer a convocação. Regular

Douglas Costa (Bayern de Munique-ALE) – Bayern 2 x 1 Augsburg (Alemão). Mais uma vez, mostrou-se muito ativo. Fez jogadas pela esquerda e pela direita, dando cruzamentos, e tentou o gol em quatro oportunidades. E foi decisivo para a vitória, pois sofreu o pênalti (duvidoso) que originou o segundo gol do Bayern. Tem a total confiança do técnico Guardiola, tanto que não foi substituído em nenhuma das quatro partidas do time na Bundesliga. Bom

Douglas Costa, do Bayern, passa por Feulner, do Augsburg (Kerstin Joensson - 12.set.2015/Associated Press)
Douglas Costa, do Bayern, passa por Feulner, do Augsburg (Kerstin Joensson – 12.set.2015/Associated Press)

Elias (Corinthians) – Corinthians 3 x 0 Joinville (Brasileiro). Na vitória consistente do líder do Brasileiro, que completou 17 partidas sem derrota no campeonato, Elias rendeu bem. Deixou Vagner Love na cara do gol (o atacante desperdiçou) e, depois, iniciou a jogada do primeiro gol da equipe. Bom

Philippe Coutinho (Liverpool-ING) – Manchester United 3 x 1 Liverpool (Inglês). Suspenso por ter sido expulso na partida anterior, não jogou. Sem avaliação

Rafinha Alcântara (Barcelona-ESP) – Atlético de Madri 1 x 2 Barcelona (Espanhol). Ganhou lugar como titular depois que o treinador Luis Enrique optou por poupar Messi, que começou no banco. Com a saída de Pedro para o Chelsea, torna-se a primeira opção quando o trio Messi-Suárez-Neymar não puder estar completo. Quando Messi entrou, não foi ele quem saiu, mas Iniesta. Jogando para o time, teve atuação mediana. Regular

Kaká (Orlando City-EUA) – Orlando 3 x 1 Kansas City (Major League). Com lesão muscular, não jogou. Sem avaliação

Ataque

Neymar (Barcelona-ESP) – Atlético de Madri 1 x 2 Barcelona (Espanhol). No 1º tempo, esteve abaixo do que costuma apresentar e, fominha, desperdiçou uma chance ao tentar definir sendo que Suárez estava livre. No 2º tempo, impediu que o Barcelona tivesse tempo de se abalar ao levar o gol do Atlético aos 6 minutos. Aos 9 minutos, sofreu falta perto da área e cobrou colocado, no ângulo, sem defesa para o goleiro, uma pintura. Teria virado a partida se, após receber de Messi e tirar do goleiro, o zagueiro Godín não salvasse usando o braço – o árbitro não deu pênalti. Ótimo

Hulk (Zenit-RUS) – CSKA 2 x 2 Zenit (Russo). Diante do líder do campeonato, marcou de pênalti o primeiro gol do Zenit. Mostrou a disposição e a fome de gol habituais, mas faltou pontaria em suas tentativas. É um dos artilheiros da liga, com cinco gols em oito jogos. Bom

Lucas (PSG-FRA) – PSG 2 x 2 Bordeaux (Francês). Ofuscado pelas belas atuações de Cavani (dois gols) e Di María. Regular

Roberto Firmino (Liverpool-ING) – Manchester United 3 x 1 Liverpool. Firmino teve mais uma chance de começar como titular e, a exemplo do Liverpool, decepcionou. Ruim

Em tempo: Sobre o ótimo Douglas Costa, soube tardiamente que, em entrevista nos EUA durante os amistosos da seleção, ele disse o seguinte em relação a ter sido criticado pelo holandês Robben, seu companheiro de Bayern, após aplicar um lindo drible (carretilha) em partida da Bundesliga: “Se tiver que fazer de novo, vou fazer. Faz parte do futebol brasileiro”. Sincero e direto. Sangue brasuca nas veias. Boa, Douglas!