Neymar vale um Mané Garrincha?

Por Luís Curro

Neymar vale mais de R$ 1 bilhão? Ou exatamente R$ 1,35 bilhão?

É quase o custo do estádio mais caro da Copa do Mundo de 2014, o Mané Garrincha, em Brasília, que saiu por R$ 1,4 bilhão.

E R$ 150 milhões a mais do que custou o Itaquerão, outra das arenas erguidas para a Copa e que pertence ao Corinthians.

Esse é o valor que o Manchester United desembolsaria, conforme publicou o tabloide sensacionalista britânico “The Sun”, para tirar do Barcelona o atacante, único supercraque do Brasil na atualidade.

Outro jornal inglês, “The Telegraph”, foi fazer a conta e concluiu que a soma não é absurda.

De acordo com o cálculo, a multa rescisória de Neymar é de 130 milhões de libras esterlinas (R$ 734 milhões), as taxas envolvidas na transação, de 35 milhões de libras (R$ 197 milhões), e os salários que o clube inglês teria de pagar ao ex-santista por um contrato de cinco anos, de 75 milhões de libras (R$ 423 milhões).

Total: R$ 1,35 bilhão.

Nos últimos dias, tem havido rumores sobre a possível saída de Neymar do Barcelona. Não deve acontecer.

Seu empresário já negou a possibilidade, e o presidente do Barcelona disse querer que o craque jogue na equipe “por mais dez anos” (Seria bom então estender o contrato, que vai até 2018.)

Mas, mais importante, não há razão esportiva para isso.

Hoje o Barcelona é muito mais time que o Man United, está ganhando praticamente tudo que disputa.

É o atual campeão da Champions League, do Espanhol, da Copa do Rei, da Supercopa da Europa. Teve um recente tropeço ao perder a Supercopa da Espanha para o Athletic Bilbao, mas sem Neymar, que estava com caxumba.

O Man United, por seu lado, passa por uma reestruturação que parece não ter fim desde que Sir Alex Ferguson deixou em maio de 2013, após 27 anos, o comando da equipe. Nada deu certo por lá a partir de então.

Mesmo que o clube inglês banque a fábula, a única razão para Neymar trocar o certo – o Barcelona tem tudo para fazer mais uma excepcional temporada e conquistar no fim do ano o Mundial – pelo duvidoso é o desafio, hercúleo nas atuais circunstâncias, de construir um time vitorioso ao seu redor.

Pois em Old Trafford ele seria o astro maior, o time jogaria para ele. No Camp Nou, sabe-se lá até quando, Messi é o rei. E é muito difícil destroná-lo.

Aparentemente, por ora, Neymar não almeja ser mais que Messi (esse papel cabe desde sempre a Cristiano Ronaldo…).

E Neymar parece muito feliz em Barcelona. Ficará, eu aposto.

De toda forma, mantenho a pergunta: Neymar, aos 23 anos, é tão valioso a ponto de custar um estádio de Copa do Mundo?

X