Decisão certa? Zagueiro brasileiro troca de time na Holanda

Por Luís Curro

O brasileiro Eric Botteghin, 27 anos, mudou de time na Holanda.

O Feyenoord contratou o zagueiro de 1,92 m, que defendia o Groningen, por cerca de 2,2 milhões de euros.

Na prévia do Holandês que fiz há alguns dias, citei Eric como um dos brasileiros a serem vistos. Ele ajudou seu time a fazer uma ótima campanha na temporada 2014-2015, culminando com a conquista da Copa da Holanda.

Eric está no auge da carreira, tanto que foi incluído na lista do “time da temporada” da Eridivisie 2014-2015 feita pelo site goal.com. O outro zagueiro eleito foi Sven van Beek, 21 anos, que será seu companheiro no Feyenoord.

Eric Botteghin posa com a camisa do Feyenoord (Divulgação)

 

Divulgada a transação, o site especializado em futebol holandês www.football-oranje.com, em artigo de Adrian Bucher, questionou as motivações de Eric ao deixar um clube que disputará a Liga Europa (o 2º interclubes em importância no continente, atrás da Champions League) por outro que não terá nesta temporada ambições além de conquistas nacionais.

Um salário melhor Eric certamente terá, pois o Feyenoord é um dos clubes grandes da Holanda. Uma chance um pouco maior de ganhar a Eridivisie, também, pois o time da cidade de Roterdã tem um elenco mais qualificado do que o da de Groningen. Mas nada indica que será páreo para o PSV Eindhoven, maior favorito ao título. Ou mesmo para o Ajax de Amsterdã.

Bucher argumenta que, se permanecesse no Groningen e fizesse grandes partidas na Liga Europa, Eric chamaria a atenção de clubes com “mais prestígio” que o Feyenoord, na Holanda ou em outros países, e na próxima janela de transferências europeia, em janeiro, poderia ir para algum deles – o que lhe daria perspectivas melhores de crescer profissionalmente.

Faz sentido o raciocínio de Bucher. Se Eric tinha a pretensão de se transferir para um campeonato mais badalado (Inglês, Espanhol, Alemão, Italiano, Francês), a melhor forma seria se destacar em um torneio internacional – no caso, a Liga Europa.

Fazendo bonito nessa competição, poderia também chamar a atenção de Dunga, o treinador da seleção brasileira, já que na zaga do Brasil ninguém parece ter posição cativa – Thiago Silva, por exemplo, não está na mais recente convocação.

Ao blog Eric explicou o porquê da troca:

“O Feyenoord é um dos maiores clubes da Holanda. Por mais que não esteja na Liga Europa nesta temporada, a chance de disputar nos próximos anos é muito grande. Também é um time que vai brigar pelo título nesta temporada, tanto na Eredivisie quanto na Copa da Holanda. No Feyenoord, eu tenho mais chance de ser campeão e posso jogar mais vezes a Liga Europa e a Champions League. O Feyenoord é um time gigantesco na Holanda. É muito tradicional e conhecido na Europa toda pela torcida fanática que tem, lotando o estádio toda partida com 50 mil torcedores. É muito difícil dizer um ‘não’ para o Feyenoord, por tudo o que ele representa”.

Meu comentário: sim, o Feyenoord é um dos grandes da Holanda. Sim, tem uma torcida fanática e presente. Vai brigar pelos títulos nacionais? Difícil. Na Copa da Holanda, com jogos eliminatórios, tem mais chance. Na Eridivisie, vejo PSV e Ajax à frente; se der Feyenoord, será surpresa. Sobre seleção brasileira, se tem alguma pretensão de defendê-la, não tem pressa para chegar lá. E o mais importante: pelo declaratório, tem certeza de seguido o caminho correto e está feliz com a decisão. Isso ajuda muito a jogar bem.

Há uma questão relevante: no Feyenoord, não tenho certeza se Eric chega para ser titular. Ele atua pelo lado direito da zaga, e o dono da posição ali é Van Beek, uma das revelações holandesas que logo, não tenho dúvida, será convocado para a seleção principal de seu país.

Para jogar, Eric terá de atuar pela esquerda, ou Van Beek ser deslocado para o setor. O problema é que para a quarta zaga o treinador Gio van Bronckhorst, lateral esquerdo titular da Holanda vice-campeã na Copa de 2010, já conta com duas boas opções, o suíço Kongolo e o holandês Van der Heijden.

O novo capítulo na carreira de Eric começa a ser escrito neste domingo (16), quando o Feyenoord visita o Cambuur pela Eridivisie.