Já vi gol de goleiro, mas nunca assim

Por Luís Curro

Não é incomum o goleiro do time que está perdendo por um gol de diferença se lançar ao ataque no fim da partida para tentar o empate em uma jogada de bola parada.

O goleiro costuma ser sempre um dos mais altos do time, então busca se aproveitar da sua estatura para levar vantagem na jogada aérea.

Na maioria das vezes, fracassa. Mas em poucas ocasiões dá certo, e já vi alguns gols de goleiro mundo afora.

Nunca, contudo, como o que Martin Hansen fez nesta terça (11) pelo ADO Den Haag contra o PSV, atual campeão, na estreia dos times na Eridivisie, o Campeonato Holandês.

Aos 49 minutos do segundo tempo, perdendo por 2 a 1, o Den Haag conquistou uma falta pela direita do ataque, e o arqueiro dinamarquês foi para a área aguardar o cruzamento de Gorré.

A bola partiu na direção de Hansen na grande área, mas não veio como ele imaginava, alta, e sim a meia altura. Em um movimento rápido, parecendo até instintivo, o camisa 1 desviou a bola com o calcanhar, e ela manteve a velocidade e morreu nas redes do outro camisa 1, o holandês Zoet.

E foi mesmo instintivo. Seu clube divulgou declaração de seu herói após a partida: “Não sei como aconteceu. Foi instinto”. Mas e daí? Não importa o meio, mas o fim.

Um dia inesquecível para Hansen, que em seu Twitter resumiu: “Que noite louca”.

Foi/é um dos gols da temporada. Tomara que a Fifa o inclua na disputa do prêmio dos mais bonitos. Merece.

Em tempo: Também nesta terça, na final da Supercopa da Europa, em um jogaço, o Barcelona, sem Neymar, ganhou do Sevilla na prorrogação e faturou  a Supercopa da Europa. O placar? 5 a 4. Isso é que é futebol.

X