Agora é comigo

Por Luís Curro

Cheguei.

Passo a partir de hoje a levar até você, amante ou não do futebol, ideias, análises e comentários sobre o mundo da bola, com ênfase no que acontece fora do Brasil.

Vivemos todos no mesmo mundo, mas cada um tem seu mundo particular, no contexto geral ou específico. Assim, neste espaço exporei o meu modo de ver o futebol, que muito possivelmente não será igual ao seu nem ao de ninguém. Apenas diferente.

Ver o futebol envolve aspectos variados. E eu pretendo abordar com frequência os que considero legais.

Do que quem gosta de futebol realmente gosta? Do jogo. Ver o jogo. Ver os protagonistas, que são eles, os jogadores, do goleiro ao ponta-esquerda (hoje extinto). Ver o craque. Ver a jogada plástica. Ver a defesa espetacular. Surpreender-se com um lance inusitado e/ou genial. Se for uma partida importante, então, como uma final de campeonato, melhor ainda.

Isso é o futebol. Ver e sentir. Mesmo pela TV, já que nos jogos internacionais não dá para estar, ao menos de forma frequente, nos estádios (a não ser que você seja endinheirado e tenha tempo livre pra viajar pelo mundo).

Aliado ao ver e ao sentir, há o falar. Pelo falar, expressa-se o que se viu e sentiu a amigos, colegas, familiares… àqueles que gostam de futebol. Na hora do jogo, se o(s) companheiro(s) estiver(em) ali, ou depois, pois quem ama o futebol gosta de recordar e debater os melhores lances. Eles ficam na memória.

E a cartolagem, as finanças, a corrupção, o tapetão? Esses temas têm sua relevância no futebol? Sem dúvida. E respeito quem gosta deles. Mas são, na maioria das vezes, chatos (os assuntos, não as pessoas), e Cristiano Ronaldo concorda. Assim, pretendo, na maioria das vezes, driblá-los.

Sim, cheguei. Mas alguém saiu. Presto minha homenagem ao Rafael Reis, o até então titular deste espaço, um cara que tem o futebol internacional no sangue. Sabe tudo, acompanha tudo, manja tudo do riscado. Sucesso, Rafael, em seus novos projetos!

Agora é comigo. Mas não estou sozinho. Agora é também com você. Quero saber sua opinião e replicar seu comentário sempre que for possível e pertinente. Pois o legal também é isso. Dar voz e atenção a quem lê, a quem se interessa, a quem participa.

Vamos juntos olhar o mundo, porque o mundo… é uma bola.