Brasil demite em 6 rodadas tantos técnicos quanto Inglaterra em 9 meses

Por Rafael Reis
Neil Warnock, técnico demitido do Crystal Palace em dezembro do ano passado
Neil Warnock, técnico demitido do Crystal Palace em dezembro do ano passado

Bastaram seis rodadas para o Brasileiro-2015 já igualar a quantidade de técnicos demitidos da recém-encerrada temporada do Campeonato Inglês.

Em menos de um mês de competição, seis treinadores já perderam o emprego na elite do futebol pentacampeão mundial —Oswaldo de Oliveira, do Palmeiras, deve cair nesta terça (9) e engrossar a lista.

O número de trocas de técnicos é exatamente o mesmo acumulado pelos 20 clubes da primeira divisão inglesa em nove meses de campeonato.

Lá na Premier League, o primeiro treinador só caiu no fim de dezembro, quatro meses após o início da competição —Neil Warnock, do Crystal Palace, foi trocado Alan Pardew.

No Brasil, já houve demissão na segunda rodada, quando Luiz Felipe Scolari e Ricardo Drubscky deixaram os comandos de Grêmio e Fluminense, respectivamente.

O descompasso entre o tempo de trabalho de um treinador no futebol brasileiro e na elite européia é histórico.

O técnico há mais tempo no cargo entre os 20 que disputam a primeira divisão nacional é Eduardo Baptista, que dirige o Sport desde janeiro de 2014.

Seu um ano e cinco meses de longevidade é irrisório quando comparado aos quatro anos de Giampiero Ventura à frente do Torino (ITA) ou aos 19 anos que Arsène Wenger ocupa o posto de comandante do Arsenal (ING).

Confira o número de demissões de técnicos dos principais campeonatos europeus na última temporada
Inglaterra – 6
Espanha – 11
Alemanha – 8
Itália – 7
França – 3