Barcelona rumo à 3ª divisão

Por Rafael Reis

Barcelona B

Uma vitória nos últimos 13 jogos, demissão de técnico, reforços de última hora e risco de rebaixamento. Pode até não parecer, mas essa é a realidade do Barcelona.

Evidentemente, não da equipe de Messi e Neymar, que está nas semifinais da Liga dos Campeões e caminha para a conquista do título espanhol, mas sim do time B do clube catalão.

Espécie de incubadora para os jovens produzidos em La Masia se desenvolverem antes de serem promovidos para o elenco principal, o Barcelona B está prestes a cair para a terceira divisão espanhola.

A seis rodadas do fim, a segunda equipe dos catalães ocupa a penúltima colocação da Liga Adelante, com três pontos a menos que o Sabadell, primeiro livre do descenso. Ao seu lado na zona de rebaixamento estão os tradicionais Osasuna, Racing Santander e Recreativo Huelva.

Se a matemática ainda dá esperanças ao Barcelona, os resultados deixam as expectativas de permanência na segunda divisão bem baixas.

O Barça B perdeu três das suas últimas quatro partidas. Desde fevereiro, só venceu um jogo (2 a 1 contra o Ponferradina, na penúltima rodada).

De nada adiantou trocar de técnico para tentar salvar a temporada. Jordi Vinyals, promovido do time sub-19 em fevereiro, depois da demissão de Eusebio Sacristán, conquistou só sete dos 32 pontos disputados desde que ascendeu ao cargo.

E nem se reforçar com quem já passou pelo elenco principal. Os atacantes Munir El Haddadi e Sandro Samírez, que iniciaram a temporada no grupo adulto, foram rebaixados para o B, mas não têm conseguido salvar a pátria.

O lateral esquerdo Álex Grimaldo, o volante Sergi Samper, o meia croata Alen Halilovic e o atacante camaronês Jean-Marie Dongou, todos tratados como futuros astros na Catalunha, também fazem parte do elenco atual.

É evidente que o objetivo principal do Barcelona B é revelar jogadores, e não conquistar títulos ou fazer boas campanhas.

Mas em 2010, quando subiu da terceira para a segunda divisão, o time era liderado em campo por Thiago Alcántara, hoje titular do Bayern de Munique, e tinha como bons coadjuvantes o atacante Nolito, já convocado para a seleção espanhola adulta, o zagueiro Bartra e o meia Sergi Roberto, atualmente no Barcelona principal. O técnico era ninguém menos que Luis Enrique, o comandante de Messi e cia.

Dois anos antes, quando o Barcelona B conquistou seu último título e faturou a quarta divisão, o treinador era Pep Guardiola. A equipe tinha, entre outros, o volante Busquets e o atacante Pedro, imediatamente promovidos ao time adulto quando o treinador subiu.


Mais de Rafael Reis no Twitter @rafaelreis14 e no Facebook https://www.facebook.com/rafael.reis.79069