Suárez já é o número 2 do Barcelona

Por Rafael Reis

Suarez

Contratado para completar o trio sul-americano de atacantes do Barcelona, o uruguaio Luis Suárez, 28, precisou de apenas seis meses para se tornar o segundo jogador mais importante do clube catalão.

Se ainda está longe de disputar o protagonismo do time com o argentino Lionel Messi, o camisa 9 já pode se orgulhar de ter uma produtividade maior que Neymar.

O brasileiro ainda é o vice-artilheiro do Barcelona na temporada, com 28 gols. Mas fica atrás do uruguaio se for analisado o período em que o uruguaio já tinha condição legal de jogo.

Maior reforço da temporada, Suárez só pode estrear na Catalunha no final de outubro. Antes, pagava suspensão pela mordida dada no zagueiro italiano Giorgio Chiellini, na Copa do Mundo.

Desde então, o atacante marcou 19 vezes. No mesmo período, Neymar marcou um gol a menos, 18.

O uruguaio também leva vantagem nos passes para gol. Mesmo com a temporada encurtada pela lesão, o uruguaio já distribuiu 15 assistências, ante nove dos brasileiros.

O nível de importância dos gols de Suárez também é relativamente maior do que os do astro da seleção de Dunga.

Enquanto Suárez se destaca na Liga dos Campeões (seis gols em seis jogos, com direito a duas canetas contra David Luiz na partida de ida das quartas de final da Liga dos Campeões contra o PSG), Neymar mostra seu melhor futebol na coadjuvante disputa da Copa do Rei (apelidada na Espanha de Copa do Ney, em referência aos seus seis gols em cinco apresentações).

A vitória, ainda que parcial do uruguaio sobre o brasileiro pelo posto de “segundo homem do Barcelona”, está ligada à diferença de experiência internacional entre os dois astros e também a um ajuste tático.

Suárez é cinco anos mais velho que Neymar e já viveu muito mais no futebol do que ele. Está na Europa desde 2006 e já foi artilheiro dos campeonatos Holandês e Inglês.

Já o brasileiro está apenas em sua segunda temporada no Velho Continente e dá mostras de que ainda tem muito potencial para evoluir. Até ser contratado pelos catalães, só havia enfrentado um clube europeu em sua carreira como profissional, justamente o Barcelona, na final do Mundial de Clubes de 2011 (tomou 4 a 0 com o Santos).

Além disso, Suárez não disputa tanto lugar em campo com Messi quanto Neymar e tem um estilo de jogo diferente da dupla, o que o torna mais compatível a eles.

O uruguaio é mais forte fisicamente e tem mais presença de área que os nanicos brasileiro e argentino, atletas cujos maiores méritos são a condução de bola em velocidade e as entradas em diagonal. Com isso, pode desempenhar uma função complementar à dos dois e ser o alvo das jogadas feitas para um centroavante (ainda que menos frequentes no Barcelona, a equipe também faz uso dessa arma).

Com o sucesso no Barcelona, Suárez já pode almejar estar entre os candidatos ao prêmio de melhor do mundo de 2015 e, com isso, corrigir a injustiça do ano passado.

 


Mais de Rafael Reis no Twitter @rafaelreis14 e no Facebook https://www.facebook.com/rafael.reis.79069