Após 15 anos de jejum, Premier League pode ter artilheiro inglês

Por Rafael Reis

Kane

 

Nem Wayne Rooney, o maior atacante inglês dos últimos 15 anos, conseguiu o feito que Harry Kane, 21, pode alcançar nesta temporada.

O centroavante do Tottenham, apelidado de Hurricane (furacão), pela semelhança sonora entre a palavra e seu nome, briga para se tornar o primeiro inglês artilheiro da Premier League nos últimos 15 anos.

O hat-trick na vitória por 4 a 3 sobre o Leiceste, sábado, colocou Kane no topo da lista dos goleadores. Com 19 gols, ele está empatado com o brasileiro/espanhol Diego Costa, do Chelsea, na artilharia.

O último inglês que terminou a Premier League como artilheiro foi Kevin Philipps, autor de 30 gols na já longínqua temporada 1999/2000 com a camisa do Sunderland.

Desde então, a mais badalada liga nacional do mundo teve goleadores holandeses (Hasselbaink, Van Nistelrooy e Van Persie), franceses (Thierry Henry e Anelka), marfinense (Drogba), português (Cristiano Ronaldo), uruguaio (Luis Suárez) e até búlgaro (Berbatov).

Rooney esteve perto de quebrar o jejum inglês duas vezes. Em 2010, ficou a três gols de Drogba. Dois anos depois, a diferença foi a mesma, mas para Van Persie.

A ascensão de Kane ao topo da artilharia da Premier League surpreendente. Após empréstimos para vários times pequenos ingleses, como Leyton Orient, Millwall, Norwich e Leicester, ele só se firmou no Tottenham no final da temporada passada.

Neste ano, venceu a disputa por vaga com Adebayor e Soldado e se tornou titular absoluto. Mais que isso: virou o principal jogador do time.

Com físico estranho para um jogador de futebol (seus 65 kg distribuídos por 1,88 m lhe dão um jeito de “bonecão de posto”) e um estilo meio destrambelhado dentro de campo, ele ainda desperta dúvidas. “Tosco”, “grosso” e “enganação” são adjetivos frequentemente ligados a ele.

Mas Kane já ganhou seus fãs. Na semana passada, ele recebeu elogios de Pelé e ganhou sua primeira convocação para a seleção inglesa. É provável que ele vestirá a camisa 9 do English Team contra a Lituânia, em 27 de março, pelas eliminatórias da Eurocopa, e no amistoso contra a Itália, no dia 31.