Canais vão pagar R$ 43,6 milhões por cada jogo da Premier League inglesa

Por Alex Sabino

O leilão do novo contrato de televisionamento dos jogos da Premier League inglesa vai render 5,1 bilhões de libras para os clubes a partir da temporada 2016-2017. São R$ 21,8 bilhões pela cotação atual, R$ 7,26 bilhões por ano. Os vencedores foram a Sky  e a BT Sports. Justamente as empresas que já mostram as partidas.

A marca supera as previsões mais otimistas dos dirigentes. Eles esperavam cerca de 4 bilhões de libras pelo contrato. O valor foi para as alturas porque outras empresas se interessaram, como a British Eurosport e a beIN Sports.

O fatiamento das transmissões é feito de acordo com pacotes. Cada empresa vencedora tem direito a mostrar determinado número de partidas ao vivo. Nunca no horário considerado “nobre” no futebol britânico: sábado, às 15 horas. O que faz com que os clássicos e confrontos decisivos sejam marcados para às 12h45 ou domingo.

Pelo novo contrato, as duas companhias vão pagar, em média, 10,2 milhões de libras (R$ 43,6 milhões)  para transmitir cada jogo. De acordo com os dados do Guardian, é um aumento de 70% em relação ao contrato que está em vigor.

A BT Sports vai dar 960 milhões de libras (R 4,1 bilhões) por uma quantidade menor de partidas (42 por temporada). A Sky, que perdeu para a rival os direitos de transmissão da Champions League, apostou alto para manter a Premier League como seu carro-chefe, o que acontece desde 1992. O canal paga atualmente 2,3 bilhões de libras (R$ 9,83 bilhões) e vai passar a desembolsar 4,2 bilhões de libras (R$ 18 bilhões). A Sky terá direito a transmitir 126 jogos por temporada, o máximo permitido. Também ganhou o pacote que lhe dá direito a transmitir pela primeira vez as partidas de sexta-feira à noite.

Antes dominante, a BT Sports tem sido uma concorrência incômoda para a Sky porque pertence a British Telecom, companhia de telefonia. Os canais são oferecidos gratuitamente a quem assina o pacote de internet da empresa.