O que aconteceu em 2014

Por Alex Sabino

Copa do Mundo. 7 a 1. Brasil decime que se siente. Zlatan. Gol de Cristiano Ronaldo. Balotelli, sempre ele. La décima. O escorregão de Gerrard. Luis Suárez. Alemães cantando o hino do Bahia.

2014 se vai com momentos memoráveis, que já estão na história do futebol. O Mundo é uma Bola, em seu primeiro Réveillon, elege os melhores (ou quase isso) do ano.

 

Melhor jogo de 2014: Bélgica 2-1 Estados Unidos (oitavas de final da Copa do Mundo)

Nenhum dos dois chegou entre os quatro melhores do Mundial. Em torneio que ficou marcado pela profusão de gols, o dado histórico foi protagonizado por um goleiro. As 16 defesas de Tim Howard são o recorde, em um único jogo, de goleiro na Copa do Mundo desde 1950, quando as estatísticas começaram a ser coletadas.

Mas em competição que teve vários jogos emocionantes, nenhum se igualou ao que belgas e norte-americanos protagonizaram em Salvador, com a quantidade de chances criadas até o último minuto da prorrogação.

 

Melhor time de 2014: Real Madrid

Nenhuma equipe foi dominante em 2014 como o Bayern de Munique de 2013 ou o Barcelona entre 2009-2012. O voto do blog fica com a equipe que conseguiu satisfazer sua obsessão de conquistar o 10º título europeu e ainda faturou, com um pé nas costas, o Mundial de Clubes no Marrocos.

Mas é escolha mais por falta de opções. O Real Madrid foi uma grande equipe em 2014, mas com concorrentes à altura. Não sobrou.

 

Melhor jogador de 2014: Cristiano Ronaldo

Portugal naufragou na Copa do Mundo, torneio em que o atacante chegou machucado e atuou longe das condições ideais. Mas é difícil argumentar contra o astro maior do time campeão europeu e mundial. Ele fez 61 gols nas 60 partidas que disputou em 2014. O que significa um gol a cada seis dias.

Haters gonna hate, mas Cristiano Ronaldo é uma máquina de fazer gols.

 

Jogador decepção de 2014: Mario Balotelli

balotelli

Super Mario parece pronto a desperdiçar todo seu enorme potencial técnico. Foi mal nos primeiros seis meses do ano pelo Milan. Fez apenas um gol na Copa do Mundo e teve atuação anêmica na partida em que a Itália foi eliminada. Comprado pelo Liverpool em agosto, entra 2015 sem ter balançado a rede nenhuma vez na Premier League. Brendan Rodgers, técnico da equipe inglesa, já avisou que ele terá de se acostumar com a vida no banco de reservas.

Balotelli poderia fazer mais. Muito mais.

 

Gol mais bonito de 2014: Tim Cahill (Austrália 2-3 Holanda, primeira fase da Copa do Mundo)

Todo ano há vários golaços, anotados  de todas as formas e jeitos. Cada um tem seu gosto pessoal. Para nós, o mais bonito foi o sem-pulo de Cahill na Copa do Mundo.

Não concorda com nossa escolha? Bem, a vida assim. Temos certeza que você vai superar isso.

 

Melhor contratação de 2014: Diego Costa (Do Atlético de Madri para o Chelsea por 40 milhões de euros)

O Chelsea não foi campeão inglês na última temporada porque não tinha um artilheiro confiável. E Diego Costa é o tipo de jogador que não foge da briga jamais. Se o seu time vai para a guerra, você quer o naturalizado espanhol liderando o ataque.

Jogando isolado na frente, ele tem 13 gols em 16 partidas da Premier League e tem sido exatamente o que José Mourinho esperava. O Chelsea é o líder do campeonato.

 

Pior contratação de 2014: Mario Balotelli (Do Milan para o Liverpool por 20 milhões de euros)

Em julho, durante a pré-temporada, o técnico Brendan Rodgers disse que o Liverpool não contrataria Balotelli em hipótese alguma. Ele deveria ter mantido a palavra.

Aceitou o italiano para ocupar o lugar que era de Luis Suárez. Só poderia dar nisso…

 

Contratação inexplicável de 2014: Douglas (do São Paulo para o Barcelona por 4 milhões de euros)

Ele tem apenas 72 minutos jogados na equipe principal do Barcelona até agora e a imprensa local quer saber o que os dirigentes do clube tinham na cabeça ao contratar o brasileiro.

 

Melhor técnico de 2014: Diego Simeone (Atlético de Madri)

Com elenco de alguns excelentes jogadores, mas sem a riqueza técnica dos rivais do país, Simeone fez o Atlético quebrar o duopólio de Real Madrid e Barcelona no Campeonato Espanhol. E ainda esteve a 20 segundos de fazer o primo pobre da capital da Espanha ser campeão europeu.

 

Revelação de 2014: Isco (Real Madrid)

O meia-atacante de 22 anos não surgiu do nada e o “prêmio” (bem, você entendeu o que queremos dizer…) poderia ir para Mattia Destro ou Raheem Sterling. Mas os boatos são que a diretoria do Real Madrid aceita vender Gareth Bale, o jogador mais caro do mundo, por causa da ascensão de Isco, um dos melhores do time.

 

A goleada de 2014: Alemanha 7-1 Brasil (semifinal da Copa do Mundo)

Poderia ser outra?

Cabeça oca de 2014: Mauro Icardi (Internazionale)

O atacante já havia “roubado” a mulher de seu ex-grande amigo Maxi López mas, em 2014, não contente com isso, fez tatuagem homenageando os três filho de López com Wanda Nara e ainda a levou para audiência com o Papa Francisco.

 

Frase de 2014: Joey Barton (Queens Park Rangers)

“Javier Pastore não conseguiria tirar a bola de mim nem se nós estivéssemos trancados em uma cabine telefônica. Ele é um merda.”

Joseph Barton, o próximo secretário-geral da ONU.