E o Football Manager saiu das telas

Por Rafael Reis

Perdi nesta segunda-feira (11) a chance de ser campeão da Eurocopa-2020. Minha Espanha, dirigida por um agora treinador de cabelos cortados Carles Puyol, acabou derrotada pela Itália por 2 a 0 na decisão na Turquia. Foi o fim do sonho para Grimaldo, Pedro Obiang e Suso Fernández, todos titulares da Roja.

Ah, mas o “Football Manager” é um só um joguinho viciante de computador. Um simulador que te coloca no papel de um treinador/diretor de futebol/presidente de um time ou clube de qualquer canto do mundo para comprar, vender e escalar jogadores.

Só um game? Nem a elite do futebol mundial parece continuar acreditando nisso.

A notícia do dia no “Guardian” é que o “Football Manager” será usado por clubes da Premier League (isso mesmo, da badaladíssima e bilionária primeira divisão inglesa) no mercado de transferências.

Explicando melhor: vários clubes ingleses (e também do resto da Europa) usam um sistema chamado “Prozone Recruiter” como banco de dados de jogadores. Esse programa disponibiliza ao assinante ter acesso a dados e estatísticas de 80 mil atletas.

Funciona mais ou menos como um olheiro virtual. Você quer contratar um centroavante jovem, alto e bom de cabeça? Faça uma busca no sistema por essas características e ele vai te apontar os nomes disponíveis.

A novidade é que agora o “Prozone Recruiter” será alimentado com os dados colhidos pela equipe do Sports Interactive, empresa produtora do “Football Manager”.

São esses dados, levantados por uma equipe de olheiros espalhados pelo planeta, que permitiram ao game prever que Cristiano Ronaldo e Vincent Kompany seriam grandes jogadores antes que o mundo os conhecesse.

Os erros também são históricos. Segundo o “Championship Manager 2003/04”, o antecessor do popular FM, Anatoli Todorov seria um Pelé. O centroavante búlgaro nunca saiu do seu país, jogou só por times pequenos e não tem nem 50 gols na carreira.

“Por anos ouvimos históricas de técnicos da vida real e olheiros que usaram nosso banco de dados para ajudar nos seus processos de recrutamento. A partir de agora, é oficial. Treinadores de todo o mundo poderão buscar e comparar jogadores usando as ferramentas de busca que são muitos familiares pelos jogadores do Football Manager”, disse o diretor do Sports Interactive, Miles Jacobson.

Essa não é a primeira inserção do “Football Manager” no mundo real. O jogo aparece estampado na camisa do AFC Wimbledon, da quarta divisão inglesa.

Football Manager 2013