A capital do futebol não vive futebol

Por Rafael Reis

A capital administrativa do futebol parece não se importar muito com o esporte mais popular do planeta.

Em Zurique desde segunda-feira para acompanhar a reunião do comitê executivo da Fifa, só encontrei uma referência ao esporte fora da luxuosa sede da entidade, localizada no alto de uma colina: uma cueca com a foto de Cristiano Ronaldo na embalagem exposta em vitrine de uma loja qualquer.

Durante as incontáveis viagens de bonde pela cidade, nenhuma camiseta, blusa ou utensílio que lembrasse os locais Grasshopper e Zurique, a seleção suíça ou qualquer grande clube do futebol europeu.

Os inúmeros gramados e áreas verdes espalhados pela maior cidade da Suíça nunca tinham uma bola rolando. Em compensação, da janela dos bondinhos, foi possível ver garotos jogando basquete, meninas brincando de vôlei e muita gente correndo em pistas de atletismo.

As raquetes de tênis, do maior esportista suíço da atualidade, Roger Federer, também deram as caras. Não poderia ser diferente.

Futebol? Só nas peladas dos funcionários da Fifa. Às terças e quintas, no horário do almoço, com homens e mulheres juntos em um gramado digno do padrão Fifa.

Zurique é a única cidade suíça com dois clubes na Swiss Super League, a primeira divisão local, e abriga o maior e o quarto time com mais títulos nacionais: Grasshopper, com 27 taças, e Zurique, 12.

Mas a cidade perdeu a hegemonia local para a Basileia.

O Basel, clube com 120 anos de existência e que inspirou a fundação do Barcelona (uma história que merece ser melhor contada em outro momento), levou cinco dos últimos seis Suições e caminha para mais uma conquista.

A cidade, localizada na parte alemã do país, também está em baixa na seleção. Dos 23 jogadores que o técnico Ottmar Hitzfeld deve levar para a Copa, apenas o goleiro Benaglio e o lateral esquerdo Ricardo Rodríguez são de Zurique.

 

Fachada da sede da Fifa, entidade que organiza o futebol mundial, em Zurique (SUI)
Fachada da sede da Fifa, entidade que organiza o futebol mundial, em Zurique (SUI)